Chupeta: Porque ela pode tornar-se uma vilã...


É perfeitamente normal e esperado que os bebês sintam necessidade de sugar!

Para eles, além do ato de sobrevivência a fim de suprir sua necessidade básica de fome, a sucção é também fonte de aconchego e prazer.

Normalmente, a amamentação supre completamente essa necessidade, porém... alguns pequenos mais insaciáveis deixam suas mamães em pânico!!!

Nessa hora entra a chupeta na vida de ambos, e de todo o restante da família...

Lembremo-nos então, que quem apresenta a chupeta ao bebê somos NÓS ADULTOS!!! E, embora ele usufrua da satisfação proporcionada por ela, os adultos que o rodeiam também o fazem!!!

O grande problema não ocorre nessa fase inicial, e sim quando a criança perpetua esse hábito oral por alguns anos.

Sendo o sistema motor oral, um sistema único responsável tanto pela alimentação quanto pela fala, ele sofre as consequências desse mau hábito.

O crescimento ósseo da face, a relação entre as arcadas dentárias e a musculatura oro-facial se desenvolvem com alterações importantes, interferindo tanto no padrão e qualidade da fala articulada, como também nos padrões de mastigação, de deglutição e até mesmo no padrão respiratório da criança.

O ideal é que a chupeta seja retirada o quanto antes, e normalmente antes do primeiro ano de vida essa é uma tarefa bem fácil. Quanto mais esperamos, mais difícil se torna... A palavra nesse caso é: BOM SENSO!!! Se houver muita dificuldade na retirada, o melhor é contar com a ajuda do pediatra ou de um fonoaudiólogo, para que esse processo ocorra sem traumas para a criança.


Featured Posts
Recent Posts